Pólo Industrial de Manaus - ZONA FRANCA





A Zona Franca de Manaus (ZFM) foi criada em 1967 pelo governo federal para impulsionar o desenvolvimento econômico da Amazônia Ocidental. Administrado pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), o pólo industrial abriga na atualidade (2012) cerca de 600 indústrias, especialmente concentradas nos setores de televisão, informática e motocicletas. Nos últimos anos, o pólo recebeu um novo impulso com os incentivos fiscais para a implantação da tecnologia de TV digital no Brasil.







Surgiu juntamente com a instalação da Zona Franca de Manaus em 1967. Apesar de ser um bairro bastante antigo, possui poucos moradores devido a sua grande área ser ocupada em sua grande maioria pelas fábricas do Pólo Industrial de Manaus.

Isenção do imposto de importação, que permite que empresas atuem como montadoras usando tecnologia internacional;

Isenção do imposto de exportação;

Desconto parcial, fornecido pelo governo estadual, no imposto de circulação de mercadorias e serviços (ICMS);

Isenção por dez anos, fornecido pelo município, de IPTU, da taxa de licença para funcionamento e da taxa de serviços de limpeza e conservação pública.


Contudo, mesmo com os incentivos fiscais, o pólo é uma importante e crescente fonte de arrecadação pública: em 2006, o Estado do Amazonas arrecadou, das empresas do pólo, R$ 3,6 bilhões (com aumento de 71,52% em relação a 2002) e o Governo Federal arrecadou R$ 6,8 bilhões (alta de 102,86% em relação a 2002)


A Zona Franca de Manaus é gerida e fiscalizada pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA). Para que novas empresas possam se instalar no pólo é necessário apresentar projeto ao órgão.


A principal crítica ao pólo e à zona franca é que sua localização, carente de infra-instrutora logística e de transporte, acaba anulando os efeitos das isenções fiscais, aumentando o preço dos produtos lá produzidos e diminuindo, assim, sua competitividade.

Os polos Eletroeletrônicos e de Duas Rodas concentram os investimentos em análise para entrar na pauta da 255ª reunião do Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS), mas há outros destaques como os projetos de bebidas energéticas e o de produção de telhas. A reunião acontece nesta terça-feira dia 28 de fevereiro, na sede da SUFRAMA dentro das comemorações dos 45 anos da autarquia. Na pauta constam 43 projetos (21 de implantação e 22 de diversificação, ampliação e atualização) que somam 1.472 novos empregos e US$ 1.1 bilhão em investimento total (incluindo capital de giro). 


O projeto de bebidas energéticas é da fabricante mundial Red Bull e resultado da alteração no Processo Produtivo Básico (PPB), publicado no início de fevereiro, que contempla esse segmento de bebidas com os incentivos da Zona Franca de Manaus. Estão previstos 79 empregos diretos, mas a expectativa é que a empresa possa adensar a sua cadeia produtiva no Polo Industrial de Manaus (PIM) futuramente. O investimento fixo previsto é de US$ 111 milhões. 


Os demais projetos de implantação em destaque são os de condicionador de ar de janela e parede, condensadores e evaporadores de ar, da KMA LTDA., uma nova empresa que chega para reforçar o polo de condicionadores de ar do PIM. O investimento fixo é de US$ 1,5 milhão com 229 empregos previstos.





Em 2010 >> Em 2010, as atividades do PIM resultaram em arrecadação superior a R$ 10 bilhões.

Faturamento
O faturamento da Zona Franca cresceu 21% em 2010, o que é um desempenho vultoso. A Suframa divulgou crescimento de 35%, o que não corresponde exatamente à realidade, uma vez que se refere ao faturamento em dólar.

Ocorre que as fábricas, mais do que nunca, faturam principalmente em reais, visto que o abastecimento do mercado interno é a prioridade das fábricas diante do dólar desvalorizado.

Ainda assim, o faturamento do PIM em reais é um recorde histórico. A geração de empregos também atingiu volume expressivo, fechando o ano com 108 mil postos de trabalho, entre efetivos, temporários e terceirizados.

No entanto, após mais de quatro décadas, as fábricas ainda são obrigadas a importar técnicos qualificados em diversas áreas ou arcar com os custos de qualificação. A falta de mão-de-obra, principalmente engenheiros, com o perfil que a indústria precisa, ainda é um gargalo quase tão sério como as limitações da logística. É outro desafio que precisa ser superado para que os números do PIM continuam batendo recordes. 
Setores

Cerca de 90% de todo faturamento do PIM é dos segmentos Eletroeletrônico (incluindo Bens de Informática), Duas Rodas, Químico, Metalúrgico e Termoplástico. Com faturamento de US$ 9, 675 bilhões até agosto, a indústria eletroeletrônica foi o maior destaque. O setor teve crescimento de 51,45% em relação a 2009.

O subsetor que apresenta maior crescimento proporcional no acumulado do ano é o segmento Mecânico, que fechou o período com acréscimo de 86,73%. No período de janeiro a agosto, o segmento alcançou faturamento de US$ 796, 999 milhões.

Produtos

Até o mês de agosto, o polo fabricou mais de cinco milhões de televisores com tela de cristal líquido (LCD), um milhão de motocicletas e treze milhões de aparelhos celulares. Na comparação com o mesmo período do ano passado, as TVs de LCD já contam com crescimento na produção de 162,47%, enquanto as motocicletas tiveram crescimento de 7,82% e os aparelhos celulares registraram aumento de 18,55%. <<



Fonte : http://portalamazonia.globo.com/new-structure/view/scripts/noticias/noticia.php?id=112796






















Na década de 70, quando Manaus era um dos roteiros mais procurados para compras de produtos estrangeiros na recém-criada Zona Franca, nem o mais imaginoso futurólogo poderia vislumbrar que a região seria palco de uma disputada corrida pelas motocicletas. 

Pioneira, a Honda chegou lá em 1976. Hoje, dezenas de marcas esticam um olho para o mercado brasileiro, e o caminho para ele passa pelo maior rio do mundo. O mercado nacional saltou de 574000 motos emplacadas em 2000 para 1,9 milhão em 2008. A crise financeira abateu-o em 2009, mas o número final de 2010 deve ficar próximo do recorde de 2008 (produção de 2,3 milhões de motos), em torno de 1,8 milhão de unidades produzidas. O setor projeta 3 milhões de motos em 2013. A área de duas rodas deve terminar 2010 como a segunda em faturamento do PIM (Polo Industrial de Manaus), abaixo dos eletroeletrônicos. 

A Abraciclo, a associação dos fabricantes, engloba dez associados, todos instalados em Manaus: Traxx, Sundown (Brasil em Movimento), Dafra, Bramont (que já montou diversas marcas em CKD, como Ducati, Triumph, Husqvarna e Malaguti, e hoje monta os quadriciclos Polaris), Harley-Davidson, Kasinski (CR-Zongshen), Honda, Yamaha, J. Toledo/ Suzuki e Kawasaki. Também na selva estão a Iros, a Garinni e a Haobao, fora da entidade. Fym, AME-Amazonas, MTD e Miza têm aprovação da Suframa para instalar-se no PIM, mas não o fizeram. A maioria monta motos e scooters chineses, com as exceções da H-D e das marcas japonesas, além de algumas Kasinski, da Coreia do Sul. 


Fonte: http://quatrorodas.abril.com.br/moto/reportagens/polo-industrial-manaus-616782.shtml


Fonte: http://g1.globo.com/amazonas/noticia/2011/10/polo-industrial-de-manaus-deve-gerar-120-mil-empregos-mensais-em-2011.html<<







A produção da placa-mãe deve ter 50% de nacionalização. Em 2013, esse percentual passará para 95%. A partir de 2012, metade dos componentes, partes e peças de carregadores de bateria ou conversores e 20% das partes com função de memória deverão ser produzidnos no Brasil. Os índices de nacionalização aumentam em 2014, chegando a 80% no caso de carregadores. Telas de cristal líquido, planas ou com novas tecnologias vão poder ser importadas até 31 de dezembro de 2013. A expectativa do governo é que, a partir de 2014, a fabricação ocorra no Brasil. Baterias e gabinetes estão, temporariamente, dispensados de ser produzidos no país.


Depois de concluir o processo de compra da unidade de discos rígidos (HDs) da Samsung, a Seagate assumirá a fabricação dos discos da companhia sul-coreana no Brasil a partir de janeiro, disse Ricardo Miranda, diretor da americana Seagate , ao Valor. O negócio entre as duas companhias foi anunciado em abril por US$ 1,4 bilhão em dinheiro e ações. De acordo com Miranda, ainda não é possível dizer quantos HDs serão produzidos com a soma das atividades das empresas no Brasil. "Isso está em avaliação"









NO PÓLO TRABALHAM ALGUMAS DAS MAIORES EMPRESAS DO MUNDO.




A SUFRAMA, autarquia vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC, com o apoio do Ministério das Relações Exteriores – MRE e demais ministérios do Governo Federal, e em parceria com outros órgãos federais, estaduais, municipais, entidades de classe e empresas, realizará em Manaus, no período de 26 a 29 de outubro de 2011, a 6ª edição da FIAM - FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA. 

O evento é reconhecido como a maior vitrine de negócios da região e inclui exposição de produtos industrializados e artesanais, rodadas de negócios e de turismo, jornada de seminários sobre temas estratégicos para o desenvolvimento regional, salão de negócios e empreendedorismo inovador, palestras e atividades culturais e socioambientais e visitas técnicas às fábricas do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Abaixo da foto do selo de quali >>> No final de 2012, deve entrar em vigor a certificação do Selo Amazônico, proposta por empresários à Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), para produtos que contenham matérias-primas extraídas da floresta.
Serão certificados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) alimentos, cosméticos e fitoterápicos produzidos nos nove estados da Amazônia Legal que, além de serem ecologicamente sustentáveis, remunerem o conhecimento das populações tradicionais e não explorem trabalho escravo ou infantil.









ESSE É O NOSSO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS... ESSA É NOSSA ZONA FRANCA DE MANAUS... 


VISITE - MANAUS - AMAZONAS - BRASIL 






DEIXE SEUS RECADOS E COMENTARIOS AQUI !

▼ MANAUS FICA AQUI ▼ Manaus is the map here ▼

▼ VISITE TAMBÉM MEU OUTRO BLOG▼ / also visit my other blog ▼